ÍNDICES DE INTEMPERISMO E EVOLUÇÃO DOS PALEOSSOLOS DA FORMAÇÃO MARÍLIA, MAASTRICHTIANO DA BACIA NEOCRETÁCEA BAURU

Márcio Luiz Silva, Alessandro Batezelli, Francisco Sérgio Bernardes Ladeira

Abstract


O presente trabalho tem como objetivo determinar o índice de intemperismo médio (m), de alteração geoquímica (CIA-K) e de morfologia (MI) para avaliar o grau de evolução dos paleossolos da Formação Marília, Maastrichtiano da Bacia Bauru. Foram descritas três seções da Formação Marília (A1, A2 e A3), compreendendo nove perfis. Na caracterização das seções, horizontes carbonáticos (Bkm) e argílicos (Btkm e Bt) foram identificados nos paleossolos da área de estudo. Os índices de intemperismo médio, de alteração geoquímica e de morfologia foram determinados para os horizontes dos paleossolos, de acordo com a literatura especializada.Os paleossolos com horizonte Bt foram os mais intemperizados, indicativos de períodos com maiores taxas de precipitação e lixiviação no Maastrichtiano da Bacia Bauru. Os paleossolos com horizonte Bkm apresentaram os menores índices sendo, portanto, testemunhos, vestígios de momentos de maior semiaridez da Formação Marília. No entanto, apesar de apresentarem baixos índices, os paleossolos com Bkm podem ser considerados evoluídos em condições semiáridas, pois apresentaram estágios de cimentação carbonática III e V.


Full Text:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21715/gb.v29i2.441

Refbacks

  • There are currently no refbacks.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia